Terça-Feira, 15 de Outubro de 2013 15h22
Cássio diz que Brasil tem dívida com professores e lembra 10 anos de PCCR na PB
-A
+A
Foto: Ascom

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), parabenizou nesta terça, 15 de outubro, todos os professores brasileiros e em especial os professores da Paraíba pelo dia da categoria. Para o senador, o Brasil ainda não consegue valorizar como deveria a mais importante das profissões.

O país tem uma dívida com os professores e, pensando no futuro, seria muito mais importante quitar esse débito agora ao invés de deixar essa situação se agravar, por tudo o que representa a educação para uma sociedade que quer progredir.

Segundo o senador, falta o verdadeiro reconhecimento de grande parte da sociedade e de governos para com os professores. Para ele percebe-se que cada vez menos jovens querem seguir a carreira do magistério, principalmente por falta de reconhecimento financeiro à categoria.

Ele disse que sempre que encontra grupos de estudantes, pergunta aos mesmos que carreira eles pretendem seguir, e raramente encontra-se alguém que queira ser professor “e isso é o que é mais grave, estamos com um crescente déficit de professores, principalmente por causa dos baixos salários da categoria, que desestimulam a entrada de novos profissionais”.

O atual senador que é membro da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal tem atuado constantemente no sentido de cobrar mais atenção e respeito aos profissionais da Educação, principalmente no que diz respeito à remuneração, ascensão profissional e condições de trabalho.

10 anos do PCCR

Ele lembrou que exatamente dez anos atrás, teve uma grande satisfação, como governador, de sancionar a Lei 7.419 que instituiu o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração para o Grupo Ocupacional Magistério do Estado da Paraíba, “conquista histórica da categoria e que foi realizada com muito esforço do Governo do Estado à época”.

Para o senador Cássio Cunha Lima é preciso que o país rediscuta o financiamento da educação, pois desde que ele era governador, cobrava do Governo Federal uma distribuição mais justa “pois não faz sentido que no financiamento do Fundeb, por exemplo, o Estado da Paraíba entre com mais recursos do que o Governo Federal para a constituição do Fundo, sendo que o GF é o ente federativo que, disparadamente, mais arrecada impostos”.

Fonte: Da Redação com Ascom
24
Julho de 2014
UEPB promove palestra sobre os desafios do jornalismo ao vivo
24
Julho de 2014
Dormitório de construtora pega fogo na Capital
24
Julho de 2014
Acidente envolvendo carro com turistas em ônibus em JP


» TODAS AS NOTÍCIAS